Bridão Reserva Branco (2012)

bridaoRESbco2012

“Ah, não gosto, é do Cartaxo”; ou “do Ribatejo? Hmm, não me diz nada”. Bem, se o preconceito pagasse imposto, estava o défice resolvido. Ora, dias atrás, entrei na garrafeira Estado d’Alma, em Alcântara, já com a ideia de levar um vinho branco do Ribatejo – região hoje designada apenas de “Tejo”. Olhando às várias possibilidades, aconselharam-me este Bridão Reserva Branco – e em boa hora.

Como muito saberão, o “Bridão” é uma marca de Adega Cooperativa do Cartaxo e “já não é de agora”. O trabalho da Adega para um aumento generalizado da qualidade dos seus produtos é algo que já começou há alguns anos e vem dando frutos – mas agora além disso também conheceu uma revolução em termos de imagem e realinhamento de marcas e gamas que têm tido algum sucesso junto dos consumidores.

O Bridão Reserva branco de 2012 é feito com a casta Fernão Pires, uma casta que eu chamo de humilde por me parecer menos “festejada” que outras grandes castas brancas nacionais. Mas ali, parece estar num dos seus poisos preferidos. Além disso, o vinho tem um estágio de 3 meses em carvalho francês. Apresenta uma interessante estrutura, um corpo apreciável e uma acidez correcta, e passados estes três anos está num belo momento, com notas cítricas e também tropicais sem grandes exuberâncias e uma prova equilibrada do início até ao final bem conseguido – e ainda por cima a preço muito amigo.

Nota: 16
Preço: 6,90 €

Partilhe este artigo:
    Luis Pedroso

    Sobre Luis Pedroso

    Nasceu em 1977 em Lisboa, alguns meses após as vindimas dessa colheita lendária. No entanto, a curiosidade pelo mundo do vinho só se tornou uma paixão depois de outra grande vindima - a de 2007. Arquitecto com uma curta mas agradável experiência de trabalho numa Garrafeira.