Castel Pujol Altos Chardonnay (2016)

Castel Puyol

 

Falar de Uruguai e da família Carrau é sinônimo de Tannat.

Podemos pensar que os Carrau nasceram no Uruguai, mas a sua história de família começa em Vilasar del Mar na Catalunha, porem em 1930 com a grande depressão os Carrau imigram para o Uruguai. A empresa Bodegas Carrau começa a ser muito grande para um país tão pequeno como o Uruguai e em 1963 compram uma fazenda no sul do Brasil, Caxias do Sul, tornando-se assim o primeiro produtor a nível de vendas e produção do Uruguai.

Da propriedade de Caxias nasceram três marcas de vinho que foram sucesso no Brasil nos anos 70/80, os célebres Lacave, Velho Museu e Anticuário. O Anticuário com um corte bordalês, foi considerado por muitos anos o melhor vinho do país, por curiosidade este vinho vêm no mesmo tipo de garrafa que o nosso Mateus Rose em forma de cantil.

Com o tempo os cinco irmãos resolvem dividir as propriedades da família, ficando Juan Carrau com a propriedade de Caxias e os outros com o resto das propriedades do grupo.

O Uruguai é um país que muitos enófilos ainda não descobriram e outros que acham que aqui só se produz Tannat, mas estão enganados. O Chardonnay dá-se maravilhosamente bem, o nosso Alvarinho que ganha aqui acidez, com Juan Bouza a ser o primeiro produtor a apostar nesta uva e com resultados muito positivos (já bebi e posso assegurar que é bom) ou o Cabernet Franc.

Falemos, pois, do vinho que nos traz aqui hoje, o Castel Pujol Altos Chardonnay 2016 é um vinho fácil de beber com uma acidez bem presente e muito jovem. Os aromas de citrinos são marcantes e com um final de boca médio. Este jovem vinho tem garra e musculo, mas é pena a fruta ter ficado um pouco escondida.

Um vinho que aqui no Brasil tem um ótimo preço/qualidade.

Resta só dizer e em conclusão que o Uruguai surge no mundo vinícola na minha visão como um pequeno laboratório ou como se diz aqui como a boutique do vinho no mundo, onde a produção ainda é pequena o que lhe dá um ar quase artesanal.

 

Nota: 15 Valores

Preço: R$19 ( 5 Euros )

 

 

FavoriteLoadingAdicionar este vinho à Cave Virtual (clique aqui para adicionar)

 

 

Partilhe este artigo:
    Nuno Barroca

    Sobre Nuno Barroca

    Setubalense, apreciador de vinhos não há muito tempo, mas tempo suficiente para decidir que a sua região preferida é a Bairrada. Não diz que não a um excelente branco, nem vira a cara a um bom espumante (de preferência, Bairradino).