MontGras Syrah (2014)

MontGras

 

O vinho para o dia dos namorados tinha que ser especial.

Mas o dia dos namorados não foi em fevereiro?

Claro que é, mas na Europa, aqui no Brasil comemorasse dia 12 de junho e por isso eu celebro essa data duas vezes, sorte a minha.

Depois de alguma indecisão e de alguma procura, encontrei o que procurava.

Um vinho diferente, de um produtor reconhecido e barato. Algo quase impossível aqui no Brasil dirão a maioria de vocês, mas encontrei.

Encontrei um Syrah do produtor MontGras e a R$64 (sorte a minha, porque o preço estava mal marcado e claro foram obrigados a me vender por esse preço).

Fundada em 1998 pelos irmãos Gras na região de Colchagua e pelo reconhecido enólogo Cristian Hartwig, com a  intensão de produzirem vinhos de montanha de alta qualidade, aposta essa que foi claramente ganha. Para terem uma ideia, Cristian é neste momento o enólogo do vinho Almaviva da Concha y Toro e do Opus One, vinhos de enorme qualidade e reconhecidos em todo o mundo.

A aposta num Syrah Chileno aparenta estranheza, mas tendo a mão de Cristian não hesitei em comprar. Como se portaria ele fora do seu habitual terroir?

Com uma cor impenetrável e jovem os aromas de fruta negra e pimenta preta eram por demais evidentes ao olfato. Na boca mostrou musculo, taninos, mas de uma maneira elegante e redondo. Encontro no palato a fruta e a pimenta e alguma baunilha, aposto que da passagem do vinho por barrica, mas não se torna enjoativo porque a acidez presente o torna leve e sedoso e com um final de boca que teimava em não desaparecer.

Um vinho diferente, mas muito elegante e que não desiludiu, acompanhou umas lentilhas com entrecosto (costelinha) de porco defumado e posso garantir que foi um manjar dos deuses, tornando perfeito este dia tão especial.

 

Nota: 16,5 Valores

Preço: R$64 (17 Euros)

 

 

FavoriteLoadingAdicionar este vinho à Cave Virtual (clique aqui para adicionar)

Partilhe este artigo:
    Nuno Barroca

    Sobre Nuno Barroca

    Setubalense, apreciador de vinhos não há muito tempo, mas tempo suficiente para decidir que a sua região preferida é a Bairrada. Não diz que não a um excelente branco, nem vira a cara a um bom espumante (de preferência, Bairradino).