Pêra Manca (1998)

Beber este vinho é sempre uma viagem.Uma viagem a um Alentejo antigo, num estilo de fazer vinho que foi quase abandonado.Possivelmente o ultimo Grande Pêra Manca.

Digo isto porque os “novos” Pêra Manca, na minha opinião, nada têm a ver com os “antigos”, tentando cativar o gosto dos novos consumidores e de maneira a conseguirem acompanhar as tendências e exigências do mercado embarcando assim num estilo e perfil mais agradável a toda a gente e mais internacional. Bem vistas as coisas está certo, pois nem só do vinho vive o Homem e os produtores precisam de vender.

Este no entanto mantém a linha do antigamente, num estilo rústico, que não agrada a todos…. A mim agradou e muito….

Feito com uma selecção cuidada das melhores uvas de Trincadeira e Aragonês, aparece no copo um Senhor Vinho…pela cor atijolada que apresenta, pela elegância e carácter como se mexe e pela persistência da lágrima…

O Aroma evoluído e complexo fazem notar o “peso” da idade, fruta em passa envolvida em ligeiros tostados, noz moscada, terra húmida, bastante contido ao inicio, mas vai abrindo, evoluindo e “crescendo”…

Um vinho surpreendente na boca, em grande forma, excelente acidez e frescura, mantém a fruta madura, quase em compota, um vinho com um final de boca fantástico longo, complexo e aveludado.

Na minha opinião atingiu o seu ponto alto estando assim na melhor altura para o beber…

Um vinho que é uma viagem, um vinho desconcertante pela idade que tem e pela frescura que ainda apresenta, um vinho que nos remete para um estilo pouco comum nos dias que correm um Alentejo serio, contido elegante…um verdadeiro Clássico!

Um vinho imperdível, uma experiencia que muito possivelmente não se repetirá tão cedo, mas que será difícil de esquecer.

Mantenho a minha opinião que este é o Ultimo Grande Pêra Manca…até agora!

Nota:18

FavoriteLoadingAdicionar este vinho à Cave Virtual (clique aqui para adicionar)

Partilhe este artigo:
    Joao Chambel

    Sobre Joao Chambel

    ETOVLiano apaixonado e sommelier. Os vinhos são a sua vida e paixão! Brancos, tintos, rosés, fortificados, espumantes, nacionais e estrangeiros, novos e velhos... A Bairrada é uma das suas regiões de eleição e faz regulares transfusões de Baga e Borgonha.