Quinta de Foz de Arouce (2008)

Dizer que as Beiras é uma das regiões portuguesas mais subvalorizadas é um eufemismo. A produção tem vindo a decrescer e a promoção é praticamente nula, reduzindo os vinhos das […]

Dizer que as Beiras é uma das regiões portuguesas mais subvalorizadas é um eufemismo. A produção tem vindo a decrescer e a promoção é praticamente nula, reduzindo os vinhos das Beiras a coisa de poucos, muito poucos.

Tendo partido à descoberta de um novo Wine Bar, e depois de me ter deparado com uma oferta demasiado reduzida, acabei por optar pelo Quinta de Foz de Arouce por dois motivos simples, Touriga Nacional e Baga. Já aqui se falou o suficiente destas duas castas para que qualquer leitor assíduo compreenda facilmente a minha escolha.

Apesar do Wine Bar ter tentado dar cabo do vinho, oferecendo-me uma taça ridícula para o beber, o Quinta de Foz de Arouce começou de imediato a mostrar potencial. Quando após alguma insistência me trocaram a taça (já disse que era ridícula? mesmo ridícula!) por um copo minimamente decente, o vinho demonstrou realmente ao que vinha.

Com um nariz bem agradável, sem ser impressionante, foi na boca que o Quinta de Foz de Arouce revelou todo o potencial das duas castas de que é feito. Um vinho bastante intenso, com notas de fruta vermelha bem madura, taninos presentes, mas bem integrados no conjunto, e um final de boca forte e longo.

Falta-lhe talvez algum corpo para aguentar a acidez, mas é um vinho que recomendo vivamente a quem gosta de vinho, à séria, sem contemplações.

Onde: Wine Bar

Preço: Cerca de 12€ no El Corte Inglés. Não me parece um vinho muito fácil de encontrar.

Nota: 17 valores

FavoriteLoadingAdicionar este vinho à Cave Virtual (clique aqui para adicionar)

P.S. – Como a fotografia que tirei com o telemóvel ficou péssima, a imagem é uma montagem minha de duas fotos do site oficial da Quinta de Foz de Arouce.

Partilhe este artigo:
    Nuno Dos Vieira

    Sobre Nuno Dos Vieira

    Dizem as más línguas que gosta muito de vinhos. Ele não desmente. Tintos, Brancos, Fortificados, Espumantes e Rosés. Hoje por esta ordem, amanhã talvez por outra. Intrépido bebedor, nunca vira a cara à prova.