Romano Cunha (2009)

romcunha2009

Diz que até leva uvas e sabe a vinho, e apetece ser radicalmente sintético e afirmar apenas, “isto é excelente”, ou, como diziam os romanos propriamente ditos no seu latim, “Du Camandrus”. Para reforçar a ideia, caso não esteja a ser claro, eis o que se poderia dizer deste vinho: aplausos.

 

Assumo que o meu primeiro contacto com este vinho foi ao ler uma nota de prova num conhecido blogue – o Copo de 3. A referida nota falava de coisas que me aguçaram a curiosidade, e lá fui à garrafeira Wines 9297 em Telheiras, que julgo ser o único ponto de venda em Lisboa – e logo a anfitriã confirmou: “tens absolutamente que provar isto”.

 

No contra-rótulo encontramos a morada de São Pedro Velho como berço deste vinho. Trás-os-Montes já bem “profundo”, estão a ver Mirandela? Então ainda falta qualquer coisita para lá chegar. Região esta, ainda por explorar por tanto enófilo. E que, pelo que este ano fui provando, está cheia de tesourinhos para descobrir. A brincar, a brincar, estamos já a caminho de Outubro e Trás-os-Montes figura no meu top5 de brancos e também no de tintos deste ano.

 

Este 2009 é ainda um jovem e foi decantado durante sete horas. Não resisti e ao fim de cinco dei uma provadela – e ia ficando com um olho “à Belenenses”. Temos aqui vinho para durar e durar, se quisermos. Ou se conseguirmos. Não, não é de “pumadas” que aqui se fala, nem de fortes impressões de madeira, amoras ou cheesecake de frutos vermelhos. É um misto de elegância misturada com uma garra desmesurada. Tem fruta? Sim, pois, porque é feito com ela. E a garrafa acaba num piscar de olhos. Não cansa.

 

Recomendo vivamente, avisando – não é para meninos. Encontrar é que pode não ser fácil. Na prateleira de onde esta garrafa saiu só havia mais duas e o produtor nem sequer parece ter muita pressa de enviar mais.

 

Nota: 17,5

 

Preço: 11,50 €

 

FavoriteLoadingAdicionar este vinho à Cave Virtual (clique aqui para adicionar)

 

 

Partilhe este artigo:
    Luis Pedroso

    Sobre Luis Pedroso

    Nasceu em 1977 em Lisboa, alguns meses após as vindimas dessa colheita lendária. No entanto, a curiosidade pelo mundo do vinho só se tornou uma paixão depois de outra grande vindima - a de 2007. Arquitecto com uma curta mas agradável experiência de trabalho numa Garrafeira.